7h35

Não se conheciam e trocaram olhares, trocaram telefone e ao fim do expediente trocaram fluidos e juras, confissões e saliva, suores, perfumes e a promessa de jurar que nunca tinha acontecido. Tudo começou no sinal vermelho. Quarenta e três segundos em contagem regressiva até que tomassem se dessem conta do desejo insano logo na manhã de segunda-feira. Quarenta e três segundos para ele relembrar como eterno o intervalo entre a ereção e a coragem de chegar junto, chamar pro ringue. Ela com quarenta e três segundos para relembrar da calcinha que vestira rapidamente na preguiça da manhã, para pensar se dava ou não para encarar um estranho com a virilha que há cinco semanas não via uma cera quente. Sorriu como quem diz que sim, jogou cartão com o número do telefone no banco de passageiro do outro carro e arrancou para o trabalho. Gozou.
_
Um dedo de prosa…

O Palavras Oblíquas tem 5 anos de existência. São mais de 200 posts, mais de 55 mil visitas e mais de 1000 comentários que me ajudaram sempre a continuar escrevendo, me felicitaram e me interrogaram de uma forma muito sadia e edificante. Agradeço muito a todos que contribuíram com isso.

Já há alguns meses eu venho pensando em deixar o blog de lado de vez por não estar satisfeito com a qualidade da produção ou por outros empecilhos mesmo. Ainda que pareça pouco, um texto por semana inédito dá um tanto de trabalho, ainda mais quando são textos literários, que exigem inspiração e criatividade, que por sua vez, exigem tempo e dedicação, coisas que a vida cotidiana vai tirando de nós pouco a pouco. Mas pensei melhor e não, tenho um afeto com esse espaço e não devo abandoná-lo tão cedo, apenas vou interromper essa periodicidade que eu mesmo me impus há 5 anos atrás.

Então ficamos assim, até qualquer dia da semana, de qualquer semana dessas. Não sumo e não paro, nem saberia como fazê-los. Abaixo alguns links de contato, utilizem. Abraços a todos!

LastFM | Twitter | Facebook | Tumblr

Anúncios
Padrão

3 comentários sobre “7h35

  1. Sempre inteiro, intenso. Amo ler-te, Dan.
    Ando um pouco relapsa, fico um tempo sem aparecer, mas sempre volto, sempre me encanto e sempre quero mais… Fico feliz que tenha desistido de “abandonar” o blog, a “obrigação” de postar semanalmente deve ser complicado mesmo, e escrevendo isso lembre de um poeta que conheci na rua, vendendo um livro, impresso em sulfite, umas 4 folhas… chamado “Livro Livre”, que seja um Blog Livre. Beijo grande!

  2. Marcelo Rezende disse:

    A gente vai se entregando pra qualquer um, né? E nem precisa estar com a depilação em dia; bate a vontade e lá vamos nós, abrindo as pernas. Mas eu gosto disso. Prefiro essa entrega àquela que se faz por meio de interesses ou acertos anteriores.

    Gosto de saber que, mesmo com menor assiduidade, você manterá o Palavras. Tenho um carinho extremo pelo o que você escreve.

  3. E eu colocando a minha leitura em dia, logo após ler “gozou”, tenho que receber essa notícia. Que corta clima, véi! hahaha Eu super entendo essa daí, porque meu blog durou pouco tempo escrevendo semanalmente, tanto que troquei para apenas uma postagem por mês e, mesmo assim, esse ano nem isso consegui fazer. Quando criei o blog eu estava com necessidade de escrever mais, haviam mudanças grandes acontecendo. Hoje estou mais pensativo. O que será amanhã? A arte tem que ser prazerosa! E eu fico aqui torcendo, que uma vez que você esteja “livre”, sua arte vá ainda mais longe, mas sempre retornando aqui, para contar as boas novidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s