Mar

O verde dos teus olhos marejava os meus. A imensidão da íris me atraía feito mariposa rondando a luz e então eu quis ver tão de perto essas pupilas dilatadas que antes mesmo de decorar teus riscos e aprender suas manias, minhas papilas já se acostumaram com os deslizes da tua língua fluindo junto à minha: imensidão de mar noturno num querer sem fim.
_

Este é o último post do ano. Agradeço a todos pelas visitas e comentários nesse 2011, antigos e novos leitores que ajudam a divulgar o Palavras Oblíquas e me estimulam a continuar. Grande abraço, paz e luz pra todos nós e até 2012!

Anúncios
Padrão

9 comentários sobre “Mar

  1. Ana Carolina disse:

    Eu te leio tão pouco tempo, mas não menos encantada. E no fim sou eu que agradeço pelas tão lindas palavras que por vezes escreveram tão bem sentimentos similares ao meu.

    Um beijo! E bem mais poesia pro ano que vem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s