Angústia *

soh2.jpg

Eu carrego o peso do mundo. Não é sempre, mas é constante. O ar adentra em mim fazendo estrago, ferindo a vontade que tenho de um dia deixar de respirar. Há uma corda imaginária em meu pescoço que sufoca, e por vezes transformo-a em palavras. O mundo pesa em mim, eu peso em mim. São tantas as faltas, os sentimentos, lembranças, mágoas… todos hoje são tumores que ali ficam sem dar alarde, mas me consomem. Eu tomo anestesias pra sobreviver a alguns dias, eu me perco propositalmente pra esquecer quem eu sou. Pra que esse conhecimento inútil se eu não sei o que fazer com ele?

Eu queria mesmo é iludir-me, acreditar na vida como um filme, talvez comédia romântica…

 

* encontrei esse texto hoje mesmo, dentro de uma caixa com carrinhos velhos. Não tem data, mas sei que é muito antigo pela minha letra feia no papel amarelado. rs

Anúncios
Padrão

6 comentários sobre “Angústia *

  1. “Quero um milhão de amigos
    Quero irmãos e irmãs
    Deve de ser cisma minha
    Mas a única maneira ainda
    De imaginar a minha vida
    É vê-la como um musical dos anos trinta”
    (Legião Urbana)
    É com o olhar dos calos imaginários que perguntamos onde realmente chegamos, o que realmente criamos. Às vezes iludir-se é a maneira mais simples de sorrirmos.
    Ótimo texto 😉

  2. sabe, darlan, esse sentimento tb faz parte de mim, desde sempre. e isso é que dói, junto com angústia vem um sentimento de impotência que é cruel… às vezes só a ficção nos distrai ou nos coloca mais abertos a aceitar a realidade que nos foi imposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s